Sinestesia – O que é essa Figura de Linguagem? Significado e Exemplos

sinestesia

Você já deve ter ouvido falar sobre uma tal de Sinestesia. Mas afinal, o que é isso? Entenda com exemplos o significado dessa figura de linguagem.

O que é Sinestesia – Significado

Originária do grego synaísthesis, o prefixo syn significa “união”, “junto” e esthesia significa “sensação”. Desse modo, essa figura de linguagem é a junção, uma união, de termos que caracterizam os sentidos do corpo humano. A expressão mescla as diversas sensações e sentidos do nosso corpo para exprimir algo. Comumente é usada em poemas e músicas.

Exemplos de Sinestesia

– “Esse seu perfume é muito doce”.

O perfume é percebido pelo olfato, doce é uma característica atribuída ao paladar. Logo, não foi preciso beber o perfume para sentir que era doce.

Outros exemplos:

– “Aquela moça tem a voz muito aveludada”. (A voz é percebida pela audição, enquanto aveludada é captado pelo tato.)

– “Ele usou palavras ácidas cortantes para se referir a ela”. (Ácido está relacionado ao paladar, enquanto cortante é tato.)

Perceba que a sinestesia é sempre a relação entre os cinco sentidos do corpo humano (tato, olfato, paladar, audição e visão) e outros elementos diversos. Biologicamente, sinestesia é a condição que o cérebro tem de associar sensações de origens diferentes simultaneamente.

Assim, para saber se alguma frase é sinestesia, é preciso observar se ela possui características de visão, tato, paladar, olfato e/ou audição.

Entenda melhor o que é Sinestesia

– “Os fins de semana na casa da vovó tinham cheiro doce de acerola.” (Cheiro faz alusão ao olfato, enquanto doce, ao paladar.)

– “A cor do tênis do menino era um laranja gritante”. (cor é relativo à visão, enxerga-se cores, e gritante tem relação com som, ou seja, audição.)

– “Entre nós só há olhares frios.” (Olhares está relacionado à visão e frio é o sentido de tato.)

– “O silêncio daquelas palavras era tão amargo quanto um suco de limão sem açúcar.” (silêncio faz alusão à audição, enquanto amargo está relacionado ao paladar.)

 

Sinestesia na poesia

-“O cheiro de mar, salgado

    A água de coco, doce hidratante revigorante

    Eu assisto a areia, refletindo a luz do sol pela manhã

    esfoliante corporal natural

    O sol, aquele amarelo gritante, abraçando-me por completo”

Perceba que nesse poema, o autor descreve a praia relacionando-a em diversos sentidos do corpo humano.

– “Cheiro de mar, salgado” (cheiro refere-se ao olfato enquanto salgado, ao paladar.)

– “Eu assisto a areia, refletindo a luz do sol pela manhã esfoliante corporal natural” (assistir faz alusão à visão, areia comparada a um esfoliante, faz alusão ao tato.)

– “O sol, aquele amarelo gritante, abraçando-me por completo” (Gritante, faz menção a audição e abraçando-me, faz referencia ao tato.)

“O sabor amargo de suas palavras cortaram meu coração”. (O amargo é percebido pelo paladar. As palavras não foram amargas literalmente, mas foram difíceis de serem escutadas, foram cruéis. Combinado a isso, há o corte no coração, remetendo ao tato, que também não foi literal, mas foi ofensivo e doloroso para quem escutou o que o outro tinha a dizer).

“Esta é uma música clássica doce” (Misturam-se dois sentidos nessa frase, a audição da música, e paladar com o sabor doce).

“Escutei minha nota abaixo da média sentindo o sabor amargo da derrota”. (Nesta frase, o emissor mistura a audição, “escutei”, com o paladar, “o sabor amargo”, para expressar a sua tristeza e decepção co ele mesmo).

“Todas as sextas-feiras, quando abro meus olhos e vejo o sol pela manhã, me sinto queimar de alegria por dentro”. (Para expressar sua alegria às sextas-feiras, o emissor mistura a visão, “vejo”, com o tato, “queimar”).

– “Quando chove na praia, o cheiro da areia úmida tem um gosto doce indescritível”. (O emissor expressa sua alegria na praia ao misturar dois sentidos para descrever a areia úmida, que são: o olfato, “cheiro”, e o paladar, “gosto”).

“Quando tomei aquela cachaça amarga antes do almoço, meu corpo queimou inteiro e espantou o frio e abriu meu apetite”. (Nessa frase, o emissor quer ressaltar as características da bebida alcoólica que ingeriu, para isso, mistura as diferentes sensações como o paladar, “amarga”, e o tato, “queimou”).

 

Não confunda Sinestesia com Cinestesia

Não se pode confundir a figura de linguagem sinestesia com as palavras cinestesia e cenestesia. A primeira significa o sentido da percepção de um movimento provocado pelo próprio corpo. Já a cenestesia diz respeito às impressões sensoriais internas de um corpo, mas que não depende dos órgãos do sentido.

Observa-se que a figura de linguagem, sinestesia, é facilmente de ser associada à própria sensibilidade corporal, entretanto, deve-se ter atenção para não confundi-la com palavras similares. Lembre-se que a sinestesia é a mistura de sentidos físicos que possuímos.