Catacrese – O que é essa Figura de Linguagem? Significado e Exemplos

catacrese-significado-exemplos-o-que-e-figuras-de-linguagem-e-dicas

Entenda o que é a Catacrese e veja exemplos de uma das figuras de linguagem mais utilizadas em nosso cotidiano. Presente em vários exemplos e principalmente em conversas informais.

O que é Catacrese – Significado

A palavra tem origem no grego katakhresis, que significa “mau uso” e no latim significa catachresis, ou seja, é uma figura de linguagem que se caracteriza pelos maus usos das palavras, mas isso não é pejorativo, pelo contrário. Colabora no entendimento da linguagem do dia-a-dia.

Compare as duas frases:

– Ao saltar o obstáculo, o cavalo caiu e quebrou a perna.

– Uma perna da velha mesa está cheia de cupins.

Na primeira frase, a palavra em destaque apresenta-se em seu sentido literal: órgão do corpo, membro inferior; na segunda frase, essa mesma palavra em destaque passou a ter sentido figurado, já que a mesa não tem realmente pernas. Por uma semelhança – e por não haver uma palavra mais adequada – chamamos de “pernas” as partes da mesa que a apóiam no chão.

A esse tipo de uso figurado da linguagem dá-se o nome de catacrese.

Exemplos de Catacrese

Para temperar a carne, o cozinheiro usou alguns dentes de alho”.

(sabe-se que o alho não é dente, mas como se assemelha ao osso humano, e por não possuir termo mais específico, fica mais fácil de identificá-lo como “dente de alho”.)

“Logo que os passageiros embarcaram, o avião decolou”.

(embarcar antigamente significava, literalmente, “entrar em um barco”. Hoje em dia com os novos meios de transporte continua a ser chamado de “embarque” o ato de adentrar no avião, ônibus ou outros meios de transporte.)

“Ao podar a roseira, o rapaz enterrou um espinho na mão.”

(Enterrar significa, literalmente, “introduzir na terra”.)

A catacrese nada mais é do que um tipo de metáfora, porque muda o sentido de uma palavra por um mecanismo de semelhança, se comparação mental. Trata-se, no entanto, de uma metáfora desgastada, ou seja, tão usada que, com o passar do tempo, o sentido original da palavra acaba sendo esquecido pelos falantes e empregado com outra conotação.

O telefone de uso público, mais popularmente conhecido como orelhão, por exemplo, não é uma orelha, grande e real que faz parte do corpo humano, mas por se assemelhar, chama-se o objeto dessa forma.

“O Natan derrubou leite no braço do sofá

Sabemos que o sofá não tem braço de verdade, mas sim um apoio de acabamento lateral. Por estar tão cristalizado na língua cotidiana e usual, não temos outra palavra ou termo para substituir.

Catacrese em geral, são palavras que estão fora do seu sentido comum, do seu sentido literal e que já estão consolidadas no nosso cotidiano. Sendo muito utilizadas e faladas sem mesmo nos darmos conta que são um tipo de metáfora.

“O texto dele era repleto de notas de rodapé.”

Associa-se a palavra rodapé – artigo de decoração que tem a utilidade de proteger as bases inferiores das paredes que ficam junto ao piso – com a parte inferior do texto. Assim, compreende-se que o texto escrito possui notas no final da página, ou seja, no rodapé da página. Por mais que a página não tenha contato com o chão, faz alusão a parte ínfera do texto.

Mais dicas para entender a Catacrese

“Rolou uma festa aqui em casa ontem. As meninas falavam pelos cotovelos, eu não conseguia ver televisão. Quando fui para a cozinha, vi que alguém havia caído com as costas da cadeira no chão.”

As catacreses encontradas nesse trecho são: “falavam pelos cotovelos” e “caído com as costas da cadeira no chão”. Sabemos que não se fala pelos cotovelos e que cadeira não tem costas.

Nesse sentido, as trocas de nomes acontecem em geral por não se ter ou achar um termo apropriado para substituir, ocasionando a flexibilidade de outras palavras para que se faça ser entendido, auxiliando no processo de comunicação do dia-a-dia.

Exemplos rápidos dessa figura de linguagem

“Queimei o céu da minha boca. (a parte interna superior da boca se chama palato, mas vulgarmente é conhecido como céu da boca)

“Li somente a orelha dos livros. (faz menção aquela parte da capa do livro que fica dobrada para o lado de dentro e em geral tem resumo da obra e ou uma pequena biografia do autor.)

“Comprei um fogão de seis bocas. (local que sai as chamas para cozinhar)

“O Guilherme fala pelos cotovelos. (expressão que indica que a pessoa fala bastante)

“Eu machuquei meu dedo quando chutei o pé da mesa. (Suporte que apóia a mesa. “Perna da cadeira” também é catacrese)

“Corri tanto ontem, hoje minha batata da perna está dolorida.” (Parte posterior da canela, a panturrilha é vulgarmente conhecida como batata ou barriga da perna.)

“Ele ficou envergonhando, dava para ver pelas maçãs do rosto coradas.” (o osso que se encontra no rosto é chamado de malar, mas popularmente conhecido como maçã do rosto.)

Frases curtas com presença de Catacrese

“Luiza se arranhou ao retirar a coroa do abacaxi.” (faz alusão ao tufo de folhas que se encontram no topo da fruta)

“O clima lá em casa era de pé de guerra. (indica tensão entre as pessoas)

“A manga da camisa da Monique estava suja de molho de macarrão.” (faz alusão a parte da roupa próxima as mãos)

“A cabeça do prego está torta.” (parte superior, achatada, do prego)

“Para mim, ela não fede nem cheira.” (essa expressão demonstra indiferença de uma pessoa para com a outra.)

“Na briga, ele levou um soco na boca do estômago.” (faz alusão a um soco na barriga.)

“Esqueci o casado nas costas da cadeira.” (local em que se apóiam as costas quando estamos sentados)

“Ele usou um fio de azeite trufado.” (sabe-se que azeite não é um fio, mas ao despejar na salada, por exemplo, ele forma um fio, por sua consistência oleosa.)

“Cuidado, esse peixe tem espinho!” (“espinho” faz menção aos ossos do peixe, que por serem pequenos e finos, em alguns casos, parecem com espinhos.)

“Eles explodiram o caixa eletrônico com uma banana de dinamites.” (por ser composto de vários rolinhos de pólvora juntos, associa-se o explosivo com uma penca de banana.)

“Achamos a chave da questão.” (foi encontrado o x da questão, o cerne de um problema ou uma situação foi revolvida.)

Emprestam-se palavras com outros sentidos para fazer-se entender naquele determinado contexto. Isso é o que os linguistas chamam de “Metáfora forçada” ou “desgastada”. Ela é considerada “forçada” porque não foi criada com a intenção de ser metáfora. No cotidiano, com as pessoas utilizando a língua e precisando fazer-se serem compreendidas, acabam por criar algumas dessas expressões.

Imagem:  noticias.universia.com.br