Ambiguidade – O que é essa Figura de Linguagem? Significado e Exemplos

ambiguidade-duplo-sentido-tipos-exemplos-explicacoes-e-o-que-e

A palavra é originária do grego amphibolia que significa “duplo sentido”. A ambiguidade é uma figura de linguagem muito utilizada na língua portuguesa. Presente no cotidiano, na música e na poesia… saiba o que é e veja exemplos.

O que é ambiguidade

Desse modo, a ambiguidade é a figura de linguagem que transparece incerteza ou dúvida na frase.

É considerado um vício de linguagem e é muito utilizada principalmente na publicidade, para chamar a atenção do público, e em geral tem um sentido dúbio, e pode haver mal entendidos na compreensão da ideia transmitida pelo interlocutor.

Exemplos de ambiguidade

“A vaca da minha cunhada pulou a cerca”. 

A dúvida que fica é: a cunhada traiu o marido e por isso é referida como “vaca”, ou a cunhada realmente tem um animal, a vaca, e essa pulou a cerca do curral?

Isso é um exemplo de ambiguidade. Esse mal entendido pela expressão não ter sido formulada de uma forma mais clara.

Outro exemplo:

“A mãe pediu para que João arrumasse seu quarto”.

Pois bem, a mãe pediu para que João arrumasse o quarto dela ou o dele? A frase nos cria essa reflexão, essa dúvida, ou seja, tem duplo sentido.

Isso demonstra a importância da objetividade e cognição na hora de formular orações. Nos casos de trabalhos acadêmicos, uma frase ambígua pode gerar muitas questões podendo levar a uma redução de nota.

A seguir, mais alguns exemplos dessa figura de linguagem:

– “Fiquei sabendo desse infortúnio no bar”. (A pessoa ficou sabendo do infortúnio enquanto estava no bar, ou seja, frequentando o local ou ouviu falar do que havia acontecido no bar?)

– “Eu estava ali, esperando próximo ao banco”. (esse banco pode ser um banco de praça ou uma agência bancária.)

– “Vi a briga na rua”. (estava na rua e viu a briga ou estava já janela de sua casa, por exemplo, e assistiu a briga na rua?)

– “Não sei se eles estão acordados”. (esse “acordados” pode ser referente ao ato de acordar. Eles estavam dormindo e acordaram. Mas também pode ser o “acordado” no sentido de acordo, judicial, por exemplo.)

– “Saíram para passear: a mãe e seu filho”. (A mãe e seu próprio filho saíram para passear ou o filho da pessoa que a quem o locutor se dirige é que saiu com a mãe?)

– “O professor se irritou com sua falta de atenção”.  (O professor se irritou com um aluno ou com a sua própria falta de atenção?)

Falta de Clareza

Observa-se que a ambiguidade normalmente é gerada por falta de clareza e por má utilização dos pronomes. Por exemplo:

“O piloto do avião disse ao comissário de bordo que era japonês”, Ficamos na dúvida se o piloto era japonês ou o comissário de bordo. Não conseguimos concluir o que o piloto falou. A ambiguidade poderia ser resolvida com o uso correto dos pronomes relativos:

“O piloto de avião disse que era japonês ao comissário de bordo”. Nessa frase conseguimos compreender quem é japonês e o que o piloto disse.

Imagem-  thuocdangianhay.com